home > Dinheiro > Bancos: os campeões em reclamações no ano passado

há 2 dias por Regina Pitoscia

Bancos: os campeões em reclamações no ano passado


No último trimestre de 2017, o Santander foi o banco que mais gerou reclamações no Banco Central. A cada três meses, o BC divulga o levantamento de manifestações que recebeu dos correntistas de instituições financeiras com mais de 4 milhões de clientes.

No período, foram 1.700 queixas contra o Santander consideradas procedentes pelo BC, a maior parte referente a “irregularidades relativas a integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços disponibilizados em internet banking”. O grupo tem cerca de 39,6 milhões de clientes e, considerando o número de reclamações, atingiu 42,87 pontos, nível mais elevado na pesquisa. No terceiro trimestre, o Santander também apareceu no levantamento como líder de manifestações de clientes com problemas.

Na segunda posição apareceu a Caixa Econômica Federal, com 2.913 reclamações, um total até superior ao do Santander, mas como tem um número maior de correntistas (87,6 milhões) sua pontuação foi de 33,24.

Na terceira colocação apareceu o Bradesco, com 2.438 manifestações consideradas procedentes, com uma pontuação de 25,63, já que tem 95,1 milhões de correntistas, aproximadamente.

As tarifas

Além dos problemas operacionais e de atendimento, uma questão relevante na relação banco x consumidor é o preço que cobram por seus serviços. Por determinação do próprio Banco Central, para as contas que oferecem serviços essenciais a tarifa deve ser zero, mas muita gente não sabe disso. Para os que não tem uma movimentação expressiva e contínua, a conta com serviços essenciais pode ser a mais indicada e, principalmente, a mais econômica.

O cliente tem direito gratuitamente a fazer 4 saques no caixa por meio de cheque ou cheque avulso, ou no terminal de autoatendimento, um cartão de débito, 2 extratos por mês, consulta ilimitada pela internet, 2 transferências para contas do mesmo banco e compensação de cheques, além de um talão com 10 folhas de cheques, desde que não tenha o nome nas listas de proteção ao crédito.

O correntista tem direito ainda a um extrato consolidado com os valores cobrados no ano anterior relativos a tarifas que deve ser entregue até 28 de fevereiro de cada ano. Ao usar esse pacote de serviços gratuito, o correntista precisa ficar atento para não ultrapassar esses limites, pois cada transação excedente terá cobrança individual.

Segundo o Banco Central, saques em terminais de autoatendimento feitos em intervalo de até 30 minutos são considerados como único evento.

Quem tem necessidade de outros serviços além dos essenciais deve optar pelos pacotes padronizados existentes no mercado, que oferecem oito tipos de serviço.

Valores

Para ter uma ideia de custos de serviços isoladamente, vale dizer que quem vai ao banco e faz uma transferência de dinheiro para outros bancos, diretamente na caixa da agência, vai pagar bem mais do que quem realiza a mesma operação pela internet ou caixas de autoatendimento. Acompanhe.

                                        Custo de transferência

Banco                                  Caixa/agência             Caixa eletrônico/internet

Bradesco                                    R$ 17,50                          R$ 9,50

Banco do Brasil                        R$ 18,70                          R$ 8,80

Santander                                  R$ 17,40                          R$ 9,40

Caixa                                           R$ 15,50                          R$ 8,65

Itaú                                             R$ 17,90                           R$ 9,75

Fonte: Febraban

Os bancos também cobram tarifas quando a transferência é feita para contas da própria instituição. E pouca gente sabe disso ou confere no extrato a cobrança da operação.

Banco                                  Caixa/agência             Caixa eletrônico/internet

Bradesco                                   R$ 1,30                           R$ 1,00

Banco do Brasil                       R$ 1,50                           R$ 0,95

Santander                                 R$ 1,40                           R$ 1,10

Caixa                                          R$ 1,20                           R$ 0,95

Itaú                                            R$ 1,35                            R$1,10

Fonte: Febraban

Na era de tecnologia que permite operações de transferência a custos bem mais baixos ou a custo zero, vale a pena pesquisar, por exemplo, as possibilidades de usar cartões pré-pagos para essa finalidade, ou de checar o que bancos digitais estão cobrando, em alguns deles as tarifas são inferiores às de bancos tradicionais.

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Dinheiro

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: