home > Crédito > Como conseguir juros mais baixos nos empréstimos

há 2 dias por Regina Pitoscia

Como conseguir juros mais baixos nos empréstimos

Para muita gente, levantar um empréstimo pessoal por essas empresas que operam inteiramente pela internet pode ser uma saída para se livrar dos juros pesados que são cobrados no cheque especial ou no rotativo do cartão de crédito, por exemplo.

Como todo o processo é virtual e sem custos de um espaço físico, essas instituições digitais têm condições de oferecer taxa mais baixa para emprestar. O que já não acontece com os grandes bancos, que desembolsam uma fortuna para manter suas redes de agência.

Não só por isso, mas porque trabalham com spreads (diferença entre custo de captação de recursos e o custo cobrado em seus financiamentos) mais estreitos, essas plataformas de crédito têm sido opção para quem não consegue sair da roda-viva das dívidas, por causa dos juros altos.

Além do dinheiro mais barato, a conveniência deve ser considerada. Quem vai levantar um financiamento online não precisa sair de casa, nem conversar com um gerente, preencher uma série de fichas, aguardar meses pela análise aprovação do crédito. Basta se conectar –se à internet pelo computador, celular ou tablet, fazer um cadastro e apresentar a documentação que é pedida,

Mas há alguns cuidados a serem tomados. É grande o número de reclamações de consumidores que foram vítimas de sites que pedem dinheiro, senhas de conta corrente ou cartão de crédito para a liberação do financiamento. Nenhuma dessas operadoras online solicitam o envio antecipado de dinheiro. No caso, o interessado deverá fornecer dados pessoais, como nome, endereço, número de CPF e RG, holerites e eventuais outros documentos inerentes ao processo.

Para cercar-se de mais segurança, verifique se a financeira em questão é autorizada a operar pelo Banco Central (www.bcb.gov.br). Uma espiada nas redes sociais e sites de reclamações também pode ajudar saber o tipo de atendimento dispensado a seus clientes.

Outro alerta refere-se ao custo da operação, procure saber se a base de comparação é a mesma. Isso porque alguns sites informam a taxa de juro e outros, o Custo Efetivo Total (CET), em que estão inclusos o imposto (IOF) e outras despesas para a liberação do crédito. Por isso, é importante solicitar sempre o CET para não ter surpresas.

Compare os juros

Procure sempre comparar as taxas que você está pagando no cheque especial ou em qualquer outra linha de crédito no seu banco. Mas também procure fazer simulações oferecidas por esses sites. A comparação vai ser proveitosa para o seu bolso.

Nos cinco maiores bancos do País, as taxas médias no cheque especial estão em torno de 12% ao mês, no rotativo do cartão, de 10% ao mês, e no crédito pessoal, oscilam entre 4,4% a 5,9% ao mês.

Em duas plataformas de crédito online, como a Lendico e a Just, as taxas anunciadas são a partir de 2,8% ao mês. Mas elas podem ser mais altas e chegar a 8,2% ao mês, dependendo da análise de crédito do interessado, grau de endividamento, capacidade de pagamento, nome limpo na praça, e assim por diante. Quanto melhor for essa avaliação (score), menor a taxa.

Na Just, a taxa média, por exemplo, é de 3,7% ao mês e, segundo a empresa, 90% dos consumidores que solicitaram o financiamento declararam ter obtido uma taxa mais baixa do que a cobrada por seu banco.

A Just mantém parceria com o aplicativo de finanças pessoais Guia Bolso, que tem conectividade com a conta corrente do usuário. Como pode visualizar a sua movimentação financeira e saber com mais precisão sobre sua capacidade de pagamento, no momento em que precisar de um crédito, o consumidor pode ser beneficiado com juros mais baixos. Os empréstimos podem ser de R$ 1 a R$ 35 mil e pelo período de 12 a 36 meses.

O aplicativo permite tomar pé de suas contas, enxergar para onde está indo seu dinheiro, ter uma noção mais precisa de quanto ganha e, com isso, sanear as finanças. Do total de usuários, atualmente em torno de 3,6 milhões, 25% conseguiram zerar e manter-se livre do limite do cheque especial.

Bens como garantia

Outra modalidade que pode baratear bastante o custo do empréstimo é aquela em que um bem é oferecido como garantia da operação.

Nessa linha, as taxas cobradas pela Creditas são a partir de 1,15% ao mês, quando o imóvel é oferecido como lastro do financiamento, e de 1,75%, quando um veículo assegura a transação. Além dos juros, as prestações recebem a correção pela inflação, medida pelo IPCA. A operação é toda feita pela internet.

O valor mínimo do empréstimo que tem como garantia uma casa, um apartamento ou terreno é de R$ 30 mil, e vai corresponder sempre a 60% do valor do imóvel. O prazo de financiamento pode ser de 10 a 20 anos. O dinheiro sai em um prazo médio de 8 semanas, dependendo da localização e documentação.

Se o financiamento tiver um veículo de garantia, a quantia mínima a ser liberada será de R$ 2 mil, e será equivalente a 90% do valor desse veículo. O crédito pode sair entre 2 e 10 dias após a solicitação.

Para quem está pendurado no cartão de crédito, cheque especial e outros compromissos, vale a pena pensar em levantar um financiamento desse tipo para liquidar tudo e concentrar as dívidas em uma só, e por uma taxa de juro mais baixa.

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Crédito

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: