home > Consumo > Festeje o Natal e o Ano Novo, mas valorize seu dinheiro

há 2 dias por Regina Pitoscia

Festeje o Natal e o Ano Novo, mas valorize seu dinheiro

Não deixam de surpreender os resultados de pesquisa recente feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito e Confederação Nacional dos Lojistas sobre intenção de compra em dezembro. Mais da metade dos brasileiros, 54%, pretendem reduzir os seus gastos e 36% planejam mantê-los no mesmo nível. Somente 6% dos entrevistados disseram que devem aumentá-los.

Longos períodos de recessão brava levaram os consumidores a ser mais prudentes, mesmo num mês de festas. Até porque a situação ainda não está nada fácil: em novembro, apenas 18% que participaram da pesquisa estão no azul, quer dizer, com suas contas equilibradas; 41% estão no zero a zero; e 36% estão no vermelho, gastando mais do que ganham.

A entrada do dinheiro extra com o 13º salário pode ajudar a fazer uma poupança ou a sair do atoleiro. Por isso, ninguém deve sair gastando por conta e torrar essa grana apenas para passar um pequeno período do ano. Principalmente porque os primeiros meses de 2018 ainda devem ser difíceis.

Não se deve entrar em dívidas nem aumentar o que deve por causa do Natal. Vale a pena apostar em saídas criativas e baratas para festejar as datas. Em vez de presentes para todos, é possível combinar e presentear apenas as crianças ou fazer a brincadeira de amigo secreto.

Até mesmo a compra de lembrancinhas deve ser evitada e trocada por algo mais caseiro e mais barato como artesanato, bombons ou um prato apreciado pela família, tudo feito por você mesmo.

Gastos em dólar

Para quem pretende ter controle dos gastos nas festas de fim de ano, o cuidado deve ser também com as compras de importados, seja perfume, roupa, alimento ou qualquer outro item que seja cotado em dólar.

Com a moeda americana perto dos R$ 3,30, as despesas com mercadorias trazidas de fora pode fazer bom estrago em seu bolso. Sem falar que os preços desses produtos tendem a subir 20% ou 30% nesse período do ano, por causa do aumento da procura, especialmente de alimentos que são tradicionais para a ceia de Natal e Ano Novo.

Até que ponto eles são essenciais para comemorar as festas? Substituir nozes, castanhas, cerejas, maçãs ou o bacalhau por produtos nacionais pode ser boa solução, sem traumas. Isso exige mudança de hábito, o que nem sempre é fácil, mas gerenciar bem o dinheiro nesses tempos difíceis sempre compensa.

E, quanto antes você definir quanto pode gastar e o que pretende comprar, mais chances terá de atravessar essa fase do ano e ainda ficar com dinheiro no bolso.

Tenha um plano

Mesmo que você tenha optado por despesas mais enxutas neste fim de ano, o planejamento é fundamental para usar bem o dinheiro. E aí vale a pena saber, antes de mais nada, quanto você vai poder gastar. Faça uma lista do que pode comprar e vá pesquisando os preços.

Com esses três passos você já estará em um bom caminho para comprar o que pretende e economizar. Será possível encontrar uma variedade maior de produtos e mais opções de cor, tamanho e modelo.  Quem deixa tudo para a última hora fica sujeito a encontrar lojas cheias e prateleiras vazias, sem poder escolher os produtos e com o risco ainda de pagar mais por eles.

Usar o cartão de crédito é uma boa estratégia para ganhar alguns dias e pagar o que gastou pelo mesmo valor, sem acréscimo. Mas, para que a economia permaneça no bolso, é preciso pagar integralmente a fatura do cartão no dia de vencimento em janeiro. Só que aí é preciso ter outro cuidado, o de lembrar que além desses compromissos há vários impostos vencendo no começo do ano.

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Consumo

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: