home > Consumo > Mais consumidores poderão ter a tarifa branca na conta de luz

há 2 dias por Regina Pitoscia

Mais consumidores poderão ter a tarifa branca na conta de luz

Desde o início do mês, quem tem um consumo de energia elétrica superior a 250 KWh/mês (quilowatt-hora por mês) poderá optar pela chamada tarifa branca. Por ela, o preço da energia varia de acordo com os diferentes horários ao longo do dia.

A estimativa e Odair Marcondes, diretor-técnico da CAS Tecnologia, é que cerca de 15,9 milhões de consumidores se enquadram atualmente nessa condição, entre residências e pequenos comércios. Esses poderão ser os maiores beneficiados com um corte de despesas de energia.

Levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aponta que, ao aderir a tarifa branca, a redução na conta de luz pode chegar a 15% em São Paulo, 12% no Rio de Janeiro, 13% no Distrito Federal e 17% no Pará.

O consumo médio mensal do brasileiro está em torno de 150 KWh, mas dependendo da região do País, esse consumo é maior. No Sul, por exemplo, a média supera os 272 KWh.

Como funciona

O sistema já vigorou no ano passado, mas foi liberado para os casos em que o consumo por mês era superior a 500 KWh.

Basicamente, o preço da energia vai variar de acordo com três horários: o de pico (ou de ponta), os intermediários, e os de fora de pico. A divisão e também os horários variam de Estado para Estado. Em São Paulo, por exemplo, esse período foi estipulado entre 17h30 e 20h30; em Minas Gerais, das 17 às 20hs. São pequenas alterações, mas são sempre em intervalos de 3 horas e não fogem muito disso em todo o País.

Uma hora antes e um hora depois dos horários de pico, se situam os horários intermediários, com preço médio de consumo. E fora dessas duas faixas, a de pico e a intermediária, o preço é o mais baixo, nos chamados horários fora de ponta que vai valer também nos fins de semana e feriados.

Portanto, para conseguir economizar na conta de energia é preciso mudar os hábitos de consumo, tentando concentrar o uso nos horários fora de ponta ou intermediário. Esse é o ponto-chave para saber se vale a pena, ou não, pedir a transferência da tarifa convencional para a tarifa branca.

Sempre que a rotina da casa permitir evitar banhos, ou ligar ar-condicionado ou aquecedores, ferro elétrico, ou reduzir a iluminação da casa, em horários de pico, deve ocorrer uma redução no total a pagar. Se isso não for possível, a mudança não tende a ser interessante.

A relação entre a tarifa convencional e a branca cobrada fora do horário de pico é outro fator a ser observado, porque quanto maior for a diferença maior tende a ser a economia na mudança.

De todo modo, o consumidor tem o direito de solicitar a transferência para fazer a comparação. A instalação de um novo medidor é grátis. E mesmo depois de aderir ao novo sistema, se não perceber vantagens, o consumidor poderá voltar ao convencional. Aí a distribuidora terá um prazo de 30 dias para fazer a reversão. Mas caso queira participar de novo da tarifa branca, será preciso cumprir um prazo de carência de 180 dias para nova solicitação.

Economize

Seja na tarifa branca ou convencional, é importante ter a consciência e usar as possibilidades de redução do consumo de energia. E há uma série de atitudes simples que levam ao consumo consciente de energia pela casa toda. Acompanhe:

Luzes

– As luzes devem ficar apagadas em ambientes em que não há ninguém.

– Aproveite ao máximo a luz do dia, deixando as cortinas, portas e janelas abertas. Expediente que pode ser amplamente usado com o horário de verão.

– Procure pintar as paredes com cores claras que contribuem para maior luminosidade no ambiente, reduzindo o uso de lâmpadas.

– Use lâmpadas fluorescentes, que são até 75% mais econômicas, além de terem garantia contra a queima.

– É preciso evitar apagar e acender as luzes a todo momento, porque o maior consumo das fluorescentes está no ato de acender.

Chuveiro

– O chuveiro é um dos aparelhos que mais consomem energia. Os banhos devem ser mais rápidos e, principalmente no calor, é possível desligar o chuveiro enquanto se ensaboa ou lava os cabelos.

– Coloque a chave na posição “verão” pode levar a uma redução de até 30% do consumo

– Faça a limpeza regular dos buraquinhos que ajuda a aumentar a vazão da água e o bom funcionamento do aparelho.

Geladeira

– Geladeiras e freezers devem ficar afastados de móveis ou paredes ou fontes de calor para ter maior eficiência.

– Alimentos quentes não devem ir para a geladeira. Espere esfriar guarda-los. Evite também abrir constantemente a porta, porque isso exige mais trabalho do motor para resfriar novamente o ambiente interno do aparelho.

– Mantenha a borracha de vedação da porta em bom estado para a manutenção da temperatura adequada. No inverno, o termostato deve ser regulado para racionalizar o consumo.

Lavar e passar

– Tente acumular o maior número de peças de roupa para lavar ou passar, racionalizando o uso de máquina de lavar e ferro elétrico.

– Passe as roupas que precisam de menor calor por último, até mesmo depois que já desligou o ferro, mas quando ainda se mantém quente.

Outros aparelhos

– Mesmo deligados, os aparelhos eletrônicos não devem ficar plugados nas tomadas.

– Quando não estiver em uso, o monitor do computador deve ser desligado ou utilizado o modo de economia de energia.

– Especialmente no verão, o uso de ventiladores aumenta consideravelmente. Saiba que, quanto maior o diâmetro das hélices, maior o consumo.

– Ao usar o ar-condicionado, as portas e janelas devem ficar bem fechadas para aumentar a eficiência do aparelho.

– A preferência deve recair sobre os eletroeletrônicos com selo Procel, porque são mais eficientes.

– Procure não usar extensões ou benjamins que desperdiçam energia.

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Consumo

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: