home > Dinheiro > O que é o blockchain e como ele vai mudar sua vida

há 2 dias por Regina Pitoscia

O que é o blockchain e como ele vai mudar sua vida

Quer queira, quer não, a revolução no mundo dos negócios vem sendo ditada pelo avanço da tecnologia. Uma delas que está na crista da onda, a blockchain, promete revolucionar as operações nos mais diferentes setores da economia, com efeitos práticos e concretos não só nas corporações, nos governos, mas também na vida de qualquer pessoa.

Na semana passada, o tema mereceu atenção especial e foi abordado por especialistas das mais diversas áreas no seminário “Blockchain 2018”, em São Paulo. A tecnologia, já usada por algumas empresas, ainda engatinha por aqui, mas promete simplificar, agilizar, desintermediar e baratear transações tanto no setor financeiro, como no agrícola, de commodities, de saúde e por aí vai. Sua aplicação não tem limite.

O termo blockchain começou a ter algum destaque mais em função das negociações com criptomoedas, em especial a Bitcoin. É por meio desse sistema que são realizadas as operações com a moeda, os registros de débito na conta de quem comprou e de crédito na de quem vendeu e  validados por vários computadores, simultaneamente, em bloco, e por meio de códigos (criptografia). Modelo que elimina a possibilidade de ataques de hackers, fornecendo veracidade e perenidade às informações contidas no registro.

A coordenadora de cursos de Big Data da fundação e Instituto de Administração (FIA) da USP, Alessandra Montini, explica que os diferencias que tornam a tecnologia mais segura estão na combinação da criptografia (códigos) com o sistema de fechamento e validação das operações uma a uma e, em seguida, em bloco, um ligado ao outro. Segundo ela, a blockchain tem se mostrado inviolável, mas como toda tecnologia nova precisa amadurecer mais em relação ao softers.

Mas a blockchain é muito mais que tecnologia e seu emprego se espalha por toda a economia. O setor financeiro tem tomado a dianteira em testes, principalmente pelo quesito segurança, segundo a professora, mas também para não ficar atrás da concorrência oferecida pelas fintechs.

Transferência de dinheiro

De efeito imediato na vida de qualquer consumidor, basta imaginar uma simples transferência de dinheiro, hoje feita por meio de TED ou DOC, a custos drasticamente inferiores aos atuais, que vão de R$ 8,65 a 18,70, dependendo do canal usado e do banco em questão. Com o uso do blockchain, a operação pode vir a custar centavos e ainda assim enfrentará a concorrência de serviços de pagamento a custo zero já existentes hoje.

Em uma transferência internacional, além dos custos, envolve vários estágios com banco local e banco central do país de quem emite o dinheiro e depois banco central e banco local de quem recebe esse dinheiro. A vantagem não é apenas na redução de despesas com o banco, mas na simplificação de todo o processo. “É porque o blockchain elimina fases, estágios, intermediários e reduz os custos para que o dinheiro chegue ao seu destino”, ressalta Montini.

Para Keiji Sakai, diretor da R3, empresa responsável pelo desenvolvimento de projeto que une Bradesco, Itaú e a Bolsa de Valores, a B3, no compartilhamento de dados de clientes pelo sistema blockchain, “os bancos terão de rever seus modelos de negócios”. Não só para atender às novas demandas dos clientes, mas para obter redução dos próprios custos. Segundo o diretor, dentro de uma despesa estimada em tecnologia, em nível global, de US$ 215 bilhões, é possível conseguir uma redução de US$ 35 bilhões com o uso do blockchain.

Menos burocracia

Mas além do setor financeiro, o sistema pode facilitar a vida de qualquer pessoa que precisa, por exemplo, de serviços de cartório para autenticar documentos ou reconhecer assinaturas. Quando os dados estiverem dentro do blockchain não haverá mais necessidade de validação de um cartório em qualquer operação, com eliminação de custos, de tempo, de burocracia.

Cuidados com a saúde

Ter dados sobre sua saúde registrados no blockchain, como tipo de sanguíneo, cirurgias realizadas, medicamentos a que tem alergias, enfim seu histórico médico, vai permitir que o paciente seja tendido em qualquer canto do mundo com muita precisão e segurança. Vamos ainda ouvir falar muito sobre blockchain nesse mundo de rápidas transformações tecnológicas.

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Dinheiro

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: