home > Contas > Por que fazer um plano de previdência privada agora

há 2 dias por Regina Pitoscia

Por que fazer um plano de previdência privada agora

Empregar o dinheiro do 13º na compra de um plano de previdência privada pode ser bem útil. Primeiro porque você estará poupando para alcançar mais independência financeira no futuro, segundo porque poderá ter benefícios de redução do imposto de renda já na declaração do ano que vem.

O que é

De forma bem simplificada, em um plano de previdência você contribui com um valor mensal por prazo determinado para atingir uma meta, juntar um determinado valor, que poderá resultar em tipos diferentes de benefícios. Poderá se transformar em uma renda mensal para o resto da vida; garantir a formação escolar dos filhos; a realização profissional com a instalação de um consultório ou escritório; concretizar um sonho como a compra de um carro ou para fazer uma viagem.

Não existe uma idade ideal para começar uma previdência privada, mas, quanto antes, melhor. Exigirá menor valor de depósito mensal e maior será a fase de acumulação de recursos. Quanto mais próximo estiver da época da aposentadoria, ou da concretização do plano, maior a contribuição para se atingir o valor estimado.

É uma forma de se disciplinar para economizar e depositar regularmente uma determinada importância. Não é possível mexer nesses recursos, os planos não permitem resgates durante o período de formação da poupança. Isso, de certa forma, é uma garantia de que você poderá contar com o que precisa no prazo combinado, barrando as tentações de avanço nesse dinheiro diante de qualquer aperto financeiro.

E por ser de longo prazo, essas aplicações tendem a proporcionar uma remuneração bem mais atraente do que a caderneta, fundos ou títulos de renda fixa. Com um bolo maior de recursos para administrar, o de todos os participantes do plano, e por prazos mais elásticos, os administradores conseguem opções mais rentáveis para o emprego do dinheiro.

Apelo da aposentadoria

O principal apelo da previdência privada está na complementação da aposentadoria oficial, proporcionada pelo INSS, que gera renda insuficiente para a maioria dos segurados. Fica difícil manter o mesmo padrão de vida quando o segurado para de trabalhar porque o benefício será bem menor do que o salário ganho quando estava na ativa.

O corte na aposentadoria paga pelo INSS começa já nos critérios de cálculo. O valor inicial da aposentadoria é apurado com base nos salários usados para aferição da contribuição ao INSS feita pelo segurado desde julho de 1994. A renda inicial encolhe ainda ao longo dos anos, com queda do poder aquisitivo pela inflação, e aí entra o plano de previdência privada, como complemento.

É importante ter informações sobre o banco ou instituição financeira que oferecem planos de previdência privada. A solidez do administrador é fundamental, já que se trata de um benefício de longo prazo. Vale verificar o histórico de rentabilidade proporcionada pelos planos da instituição em questão.

As taxas cobradas para gestão do dinheiro também contam. Existem as taxas de carregamento e as taxas de administração. Quanto mais elevadas essas taxas, menor o valor líquido a ser destinado ao fundo de investimentos. Quanto mais próximas de zero, mais interessante para o aplicador.

Vantagem fiscal

O valor depositado em um plano de previdência privado do tipo PGBL poderá servir para reduzir o imposto de renda, na declaração de 2018. Quem comprar ou fizer depósitos em um plano de previdência privada até 30 de dezembro poderá abater até 12% da renda bruta anual recebida em 2017.

Esse abatimento resulta em vantagens financeiras para o aplicador, com imposto a pagar menor ou restituição mais gorda. Mas essa possibilidade é oferecida apenas pelos planos do tipo PGBL, Plano Gerador de Benefícios Livres, e para o contribuinte que usa o modelo completo da declaração anual do Imposto de Renda. É que esse modelo permite usar todas as despesas previstas na legislação da Receita Federal para o desconto do imposto.

Quem usa o modelo simplificado não tem permissão para aproveitar as contribuições para diminuir a carga tributária.  Nesse modelo, o contribuinte tem direito a um abatimento de 20% sobre sua renda, no lugar de todas as deduções, antes do cálculo do imposto.

O tipo de plano de previdência privada que combina com o modelo simplificado é o VGBL, Vida Gerador de Benefícios Livres, que vai beneficiar o aplicador no momento do resgate do dinheiro.

Antes de comprar um, verifique se a empresa em que trabalha não oferece um plano fechado. Conhecido como fundo de pensão, ele é acessível apenas aos funcionários de uma empresa, grupos econômicos ou a profissionais pertencentes a uma entidade de classe, como os sindicatos.

A principal vantagem desses planos é que você contribui com um porcentual sobre seu salário e a empresa complementa seu recolhimento. É como se o empregador estivesse financiando sua aposentadoria complementar. Além disso, o dinheiro que você pagou no ano também pode ser deduzido até o limite de 12% de sua renda bruta anual na declaração de Imposto de Renda.

 

 

Compartilhe:

0 Comentário

Comentar como anônimo

Mais lidos em #Contas

Relacionados

Relacionados

Outras categorias:

Assim você busca por assunto,
aquilo que mais interessa.

E aqui a gente separou o que é mais acessado:

Mas se quiser receber nossos artigos
por e-mail, cadastre-se: